Chocolate fit

Chocolate fit

Chocolate Fit: como escolher?

Na época dos nossos avós não havia muita variedade nas prateleiras dos supermercados, não apenas de produtos, como também de marcas. Com o passar do tempo isso foi mudando e hoje conseguimos encontrar coisas que antes eram impensáveis, como chocolates fit, por exemplo.

Como você nos acompanha já deve estar acostumado com a quebra de paradigmas no mundo dos chocolates, visto que já falamos aqui sobre os veganos e os low carb. E agora chegou o momento de falarmos do chocolate fit: isso de fato existe? Quais são as suas características? Como escolhê-los? Continue com a gente e descubra as respostas!

Manual de escolha do chocolate fit

Conforme dissemos no começo do artigo, hoje em dia existe uma diversidade muito grande de produtos disponíveis e isso não é diferente com os chocolates. Então, vamos começar te mostrando os itens que você precisa checar para identificar se o chocolate é fit ou não:

  • Percentual de cacau;
  • Ingredientes;
  • Quantidade de ingredientes;
  • Forma de adoçar.

Dito isso, vem com a gente para entender o que você precisa saber de cada um desses itens para ter em suas mãos um chocolatinho que, além de gostoso, vai ser bom para a sua saúde.

Percentual de cacau

Verifique a porcentagem de cacau no produto. Quando um chocolate tem menos que 40% de cacau em sua composição, essa informação não é disponibilizada na embalagem, portanto já pode excluir esses chocolates da sua listinha.

“Ah, então quanto maior a quantidade de cacau, mais fit o chocolate será?”

Em teoria, quanto maior a quantidade de cacau, menor será a quantidade de outros ingredientes utilizados na receita. Apesar disso, nem sempre chocolates que possuem o mesmo teor de cacau terão a mesma concentração de bons nutrientes, por isso, outros fatores precisam ser analisados além deste. Continue lendo para descobrir quais são.

Ingredientes e quantidade de ingredientes do chocolate

Parece óbvio pensar que o principal ingrediente de qualquer chocolate seria o cacau, certo? Errado! Grande parte dos chocolates que vemos para vender utilizam outros ingredientes em maior quantidade que o cacau e nós temos a dica para você conseguir identificar isso!

Repare na ordem na ordem dos ingredientes, pois eles vêm descritos por quantidade. Por exemplo, se os ingredientes de um chocolate são: açúcar, leite em pó, manteiga de cacau, massa de cacau e gordura vegetal, o que foi utilizado em maior quantidade nesse produto foi o açúcar, em segundo lugar foi o leite em pó e assim por diante.

Antes de continuar, uma breve explicação sobre o cacau: apenas o miolo do fruto, conhecido como o nibs de cacau é utilizado para a produção de chocolate. Os nibs de cacau são constituídos por manteiga de cacau — que é a responsável por deixar o chocolate macio — e por torta de cacau — que pode ser transformada em cacau em pó — em uma proporção de 50% cada. Então, por mais que os nibs de cacau sejam uma ótima fonte de vitaminas, minerais e flavonóides, por conta da manteiga de cacau — que é uma gordura saturada — tem calorias elevadas.

Agora que você já sabe mais sobre como o cacau é utilizado na fabricação de chocolates, vamos continuar mostrando como identificar bons ingredientes no mesmo. Preste muita atenção se os ingredientes utilizados são naturais, quanto mais industrializados na formulação, menos fit o chocolate será. Além disso, a quantidade de ingredientes é outro item bom de ser observado: quanto menos, melhor.

Segue alguns exemplos de boas composições de ingredientes:

Agora você já sabe como observar os ingredientes que compõe um chocolate fit. Vamos continuar com as análises!

Forma de adoçar

Para um chocolate ter aquele sabor adocicado ele precisa, necessariamente, ser adoçado. Você pode ter pensado; “á vá! precisa adoçar para ser doce?” Sim, precisa. O sabor doce não provém do cacau, que é amargo, o que significa que é necessário apelar para fontes de açúcar ou adoçantes externos para produzir esse paladar mais açucarado.

A menos que o chocolate seja 100% cacau, ele virá adoçado de alguma forma. Dê preferência aos chocolates que utilizam adoçantes naturais, como xilitol e eritritol. Caso a forma de adoçar seja o açúcar, dê preferência à açúcares mais naturais, como o de coco, por exemplo. Evite os adoçantes sintéticos e o açúcar refinado.

Além disso, não se esqueça de prestar atenção à porcentagem de cacau, conforme dissemos acima. Quanto mais cacau, menos açúcar, então vá educando seu paladar para se acostumar com o sabor amargo, assim poderá apreciar chocolates de melhor qualidade e consequentemente mais fit. Então foque em adquirir chocolates que sejam pelo menos, 70% cacau.

Pronto! Agora você já sabe o que precisa observar na hora de comprar um chocolate fit. Porém, lembre-se que, como acontece com qualquer alimento, é preciso consumi-lo com moderação, por mais fit que o chocolate possa ser. Excessos e vida saudável não combinam! 

Você pode criar um momento do seu dia para apreciar um quadradinho de chocolate; pare tudo o que estiver fazendo e dedique este momento apenas para saborear o seu doce. Feche os olhos, sinta seu cheiro, deixe-o derreter na sua boca, aproveitando cada minutinho desse momento tão delicioso. Dessa forma, você se satisfaz e evita os excessos.

Gostou de saber mais sobre o chocolate fit? Assine nossa newsletter e venha quebrar mais paradigmas do universo dos chocolate com a gente!

 

Referências

https://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/36389-como-entender-a-tabela-nutricional-dos-alimentos

https://www.javachocolates.com.br/blog/tipos-de-chocolates-saudaveis/

https://www.javachocolates.com.br/blog/tipos-de-chocolate-o-que-pode-e-o-que-nao-pode-na-dieta/

https://www.javachocolates.com.br/blog/chocolate-100-cacau/

 

Chocolate esbranquiçado: posso comer?

Chocolate esbranquiçado: posso comer?

“Moro num país tropical, abençoado por Deus….” e quente nas quatro estações do ano! Abriu um chocolate esbranquiçado e não sabe o que aconteceu?

Principalmente após a pandemia, comprar chocolate online se tornou um hábito. Entretanto, é comum que o revendedor de chocolate não tenha se adaptado a enviar os produtos da melhor maneira, e o consumidor também muitas vezes não entende isso, achando que houve um defeito de fábrica no chocolate ou que o produto esteja estragado.

(mais…)

Chocolate zero lactose – como não errar na escolha

Chocolate zero lactose – como não errar na escolha

Adaptar a dieta para uma restrição alimentar pode ser sempre complicado. Mas se você tem restrição a leite e procura um chocolate zero lactose, siga as dicas e com certeza não terá problema em encontrar. Seja em tabletes ou barras culinárias, hoje se tornou viável o consumo, até mesmo de chocolate zero proteína do leite, seguro para APLV.

Vamos às dicas para encontrar o seu chocolate zero lactose?

1- Analise o rótulo

É comum ver produtos com informação sobre zero lactose, mas mesmo assim ter traços de leite. Analise bem a embalagem, veja se na parte de trás há alguma informação sobre alergênicos. Cada pessoa tem um grau de restrição, sendo necessário entender se os traços de leite de um possível “chocolate zero lactose” vão te fazer mal. Confira no post sobre restrições e alergias.

Os traços de leite indicam algumas situações: (a) a fábrica tem outros produtos  com leite e há compartilhamento de maquinário, ou (b) o chocolate tem leite, mas foi utilizada uma enzima, por isso, ainda assim ele pode conter leite ou traços de leite. Em ambas as situações, o chocolate não é indicado para quem tem alergia a leite (APLV).

2- Pesquise sobre a empresa

O processo de fabricação sem utilização de leite foge do trivial, por isso, busque por empresas especializadas, que já tenham conhecimento e que se estabeleceram neste ramo. Pesquise se a fábrica trabalha com ingredientes com leite.

3- Treine seu paladar

Não tem jeito, a maioria dos chocolates zero lactose possui alto teor de cacau. Isso significa que são intensos, mas não amargos. Depende da qualidade do chocolate, pois ele pode ser forte sem ser amargo. E depende do treino do paladar, para conseguir consumir um chocolate cada vez mais intenso. Isso faz bem para sua saúde, pois quanto maior o percentual de cacau, melhor – o cacau é um ingrediente com diversos benefícios, saiba mais aqui.

4- Busque variedade de sabores

O chocolate faz parte da nossa vida em todos os momentos. Mesmo treinando o paladar, temos  os momentos de comer um chocolate mais doce ou branco, por isso é interessante procurar essas alternativas.

É bom saber que existem alternativas assim, com chocolates zero lactose e seguros para APLV:

  • Coração de chocolate com caramelo: É possível ter caramelo sem leite ou manteiga, usando apenas ingredientes naturais.

Coração recheado zero lactose

  • Chocolate ao leite de coco: Possui cremosidade e um pouco mais de dulçor para quem ainda não se acostumou a um chocolate 70% cacau.

Pack Chocolate ao Leite de coco 40% cacau - 5 unidades de 25g

  • Chocolate recheado cremino: É uma opção com recheio de cappuccino, docinha e sem nada de leite em sua composição. Faz parte da linha Candy.

Chocolate cremino zero lactose

Ficou curioso? Acesse loja.javachocolates.br.

Como comprar chocolate zero lactose?

Chocolate Na Quarentena

1- Analise o rótulo
2- Pesquise sobre a empresa
3- Treine seu paladar
4- Busque variedade de sabores
Acesse o post para saber mais.

Todo chocolate zero lactose é amargo?

Chocolate Na Quarentena

Não necessariamente. Existem opções de chocolate zero lactose, porém , com menor teor de cacau. Veja algumas opções neste post.

Chocolate amargo tem lactose?

Depende. Sempre é necessário verificar o rótulo. Além disso, veja sempre se há indicações de alergênicos - mesmo se o produto não tiver leite, ele pode conter traços de lactose.

Chocolate zero lactose faz bem para a saúde?

Da amendoa a barra

Depende. Confira os rótulos e prefira aqueles com maior teor de cacau.

Chocolate branco vegano – como é feito?

Chocolate branco vegano – como é feito?

É comum que as pessoas sintam falta de um chocolate branco vegano ao iniciar na dieta vegana. Mas as empresas tem se atentado e gerado opções para isso não ser mais um problema.

 

Como é feito o chocolate branco tradicional

O chocolate branco padrão é basicamente composto por manteiga de cacau ou alguma gordura vegetal mais barata, além de leite e  muito açúcar ou adoçante. Em geral, são bastante doces e tem um odor muito característico: baunilha. É responsável por ativar a memória do que associamos ao chocolate – mesmo que ele não tenha naturalmente este aroma.

O cacau é constituído por  mais de 50% de manteiga de cacau, que é extraída a partir de um processo de prensagem. É considerada a parte mais cara do cacau comum, por isso, é muito substituído por outras opções de gordura vegetais em chocolates mais simples. A manteiga de cacau é uma gordura boa, porém, ainda sim precisa ser consumida em quantidades limitadas. Já a gordura vegetal, que é uma gordura trans. Sabe-se que ela pode causar o aumento do colesterol total e do colesterol ruim (LDL) e a redução dos níveis de colesterol bom (HDL).

 

Como é feito o chocolate branco vegano sem leite

A Java Chocolates é uma empresa vegana que criou uma opção que não utiliza leite. Mais do que isso, é livre de glúten, soja e açúcar. Nota-se a diferença logo ao se abrir o chocolate, pois o aroma de baunilha, mencionado anteriormente como indutor de memória do chocolate, não está presente. Pela filosofia de se usar o mínimo de ingredientes, é considerado desnecessário e por isso não é utilizado.

No lugar de leite, grãos de arroz tostados e triturados para ter textura suave. Dulçor reduzido, pois também é filosofia nossa adaptar o paladar para o consumo de produtos menos doces, com mais sabor do que interessa : o cacau. Como falamos, nesse caso a manteiga de cacau é protagonista.

Além de ser um chocolate zero lactose, é zero leite também, sem traços. Desta forma, também se encaixa na dieta plant based.

É possível encontrar opção em barra de 25 ou 80 gramas, barras culinárias de 1 e 5 kg, e também corações recheados.

Chocolate branco vegano de 75 g

Gosta de outras opções veganas, mas docinhas?

  • Chocolate ao leite de coco: Possui cremosidade e um pouco mais de dulçor para quem ainda não se acostumou a um chocolate 70% cacau.

  • Chocolate recheado cremino: É uma opção com recheio de cappuccino, docinha e sem nada de leite em sua composição. Faz parte da linha Candy.

Ficou curioso? Acesse loja.javachocolates.com.br .

Ficou com dúvidas ? Acesse nossas perguntas e respostas sobre chocolate branco!

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Gordura_trans

Tipos de chocolate – o que pode e o que não pode na dieta

Tipos de chocolate – o que pode e o que não pode na dieta

Diversos tipos de chocolate são encontrados facilmente nos supermercados. E aí, quais deles cabem na dieta? Uma coisa é certa – sempre consuma com moderação.

Primeiro, há alguns atributos importantes independentes do tipo

  • Sem lactose: São os chocolates que não possuem leite ou que utilizam enzima, tornando-os aptos para consumo a quem tem essa restrição. Por isso, não significa que seja zero leite – caso houver compartilhamento de máquina, ele pode ter traços e ser inapto a quem tem alergia ao leite.
  • Sem glúten: São chocolates produzidos em ambientes que garantam a ausência de glúten. É comum que fábricas de chocolates tenham algum ingrediente com glúten, como cookies.
  • Zero açúcar: Aqueles que utilizam algum adoçante ou que forem 100% cacau. Para um chocolate ter algum dulçor, é necessário ter açúcar ou adoçante sempre, pois as amêndoas de cacau tem um

Para quem trabalha na área

Além do cacau , outro ingrediente diz muito sobre a qualidade: a gordura utilizada.

  • Chocolates nobres: Apenas manteiga de cacau.
  • Chocolates fracionados: Usam gordura vegetal, como a gordura hidrogenada.

Vamos aos tipos de chocolate?

Chocolate branco

O chocolate branco utiliza apenas a parte gordurosa do cacau, ou até pior, em geral usa gordura hidrogenada. A quantidade de açúcar tende a ser alta, sendo geralmente muito doces. Mesmo os zero açúcar, se forem muito doces, usam muito adoçante. Desta forma, não está na lista dos mais saudáveis.

 

Chocolate ao leite

O chocolate ao leite também tende a ser mais doce e com alto percentual de açúcar. Novamente, no Brasil é muito comum que estes produtos tenham gordura hidrogenada, pois é mais barata do que a manteiga de cacau e além disso, torna o chocolate mais resistente ao derretimento. O teor de cacau em geral é inferior a 40%. Desta forma, não está na lista dos mais saudáveis.

 

Chocolate amargo ou chocolate dark

São os chocolates com maior teor de cacau, acima de 70% cacau, muitas vezes o dobro do chocolate ao leite. Também tem menos açúcar ou adoçante, muitas vezes a metade. Mesmo assim, podem ter formulação duvidosa.

Além disso, a forma de adoçar pode mudar. Pode ser com açúcar, pode ser zero açúcar, e neste caso, pode usar adoçantes low carb como xilitol ou eritritol, ou adoçantes muito ruins.

Pelo ponto de vista do paladar: prefira chocolates que não tenham cacau em pó na formulação. O cacau em pó é um subproduto do processamento do cacau, em geral é proveniente de uma matéria prima ruim. Além disso: fuja da baunilha! Este ingrediente é utilizado para mascarar a má qualidade, pois o chocolate perde o gosto de cacau e fica tomado pelo odor da baunilha. Já experimentou um chocolate 70% cacau docinho? Em geral, tem cacau em pó e baunilha, com pouco gosto do cacau, que é a parte saudável do chocolate.

Desta forma, observando-se os ingredientes, pode ser saudável.

Chocolate dark

Chocolate Ruby

É mais um caso interessante: quando não é informado o percentual de cacau, não podemos ter expectativas que o chocolate seja saudável. A lista de ingredientes mostra o açúcar sendo o ingrediente de maior volume, de um total de 8, que incluem acidulante ácido cítrico – para que? Desta forma, não está na lista dos mais saudáveis.

 

 

 

Chocolate belga ou chocolate suíço?

Chocolate belga ou chocolate suíço?

Pensou em comprar  o melhor chocolate do mundo e não quer errar? Vai de chocolate belga ou o chocolate suíço? Vamos analisar o chocolate dos dois países e entender a fama? Por que não comparar com o chocolate de verdade nacional?

Chocolate belga

A Bélgica ficou famosa no mundo dos chocolates por que foi lá o nascimento dos bombons. Isso mesmo.

O bombom surgiu numa farmácia dentro da Galeria Real no século XIX. O dono teve a idéia de enrolar os medicamentos com chocolate para ajudar a engolir o remédio.

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bruxelles_Galeries_royales_Saint-Hubert_06.jpg

Galeries Royales – Crédito -https://commons.wikimedia.org/wiki/User:Zairon

A qualidade da produção dos bombons, aliada ao uso de chocolates de boa qualidade, fez com que a Bélgica ficasse famosa não só pelos bombons, mas também pelos chocolates.

Curiosamente, o nome “chocolate belga” praticamente é usado hoje como tipo de chocolate, mesmo sem ter um padrão para isso – exceto  o fato de ter sido fabricado na Bélgica.

 

Chocolate suíço

Talvez seja o país com associação maior ao chocolate hoje, com muita história envolvida. E rapidamente, já lembramos de chocolate suíço Lindt. A técnica de conchagem, responsável por deixar o chocolate mais suave, foi criada por seu fundador, Rodolph Lindt.

Outro grande fator para a popularização do chocolate suíço foi  a invenção do chocolate ao leite, por Daniel Peter.

A preocupação com a qualidade veio desde cedo. Em 1901, os produtores suíços de chocolate fundaram a Union libre des fabricants suisses de chocolat. Em 1916, a Union foi dividida em Chambre syndicale des fabricants suisses de chocolat e Convention chocolatière suisse.  A Convention Chocolatière em 1916, com objetivos zelar pela qualidade do chocolate e estabelecer uma estratégia de preço uniforme, até sua dissolução, em 1994.

Chocolate brasileiro

O Brasil é um dos poucos paises em que temos ao mesmo tempo:  plantação de cacau, fábricas de chocolate e consumo do produto final. A maioria dos países em que se planta cacau exporta praticamente toda a sua produção, muitas vezes devido à falta de recursos da população para comprar um item considerado caro.

Originalmente, o Brasil fabricava apenas chocolates mais simples, com muito açúcar, talvez até para se alinhar ao poder aquisitivo da população. Ainda hoje, o maior consumo no Brasil é desse tipo de produto , mas agora temos a produção de cacau fino e também de chocolates de alta qualidade.

Apenas em 2019 o Brasil foi reconhecido como exportador de cacau fino, mesmo que a parcela de cacau fino ainda seja pequena.  A maioria é de cacau comum,  conhecido como bulk ou commodity.

De ter um cacau fino a produzir um chocolate de qualidade há uma grande diferença. Mas o mercado começou a pedir este tipo de produto. Mesmo não tendo um mercado grande, pequenos produtores começaram a surgir para atendê-lo. Com isso, hoje é possível ver  no Brasil opções de chocolate de origem bean to bar brasileiro feito com ótimos ingredientes e seguindo os melhores processos para fabricação de chocolate. Que tal experimentar e comprovar que chocolate brasileiro de qualidade existe?

 

Referências:

http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/08/belgica-inventora-do-bombom-ganhou-fama-mundial-pelo-chocolate.html

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/09/13/internas_economia,1084980/brasil-e-reconhecido-pela-icco-como-exportador-de-cacau-fino-e-de-arom.shtml