Fábrica de chocolate Mineira

Fábrica de chocolate Mineira

A Java Chocolates se orgulha de ser a primeira fábrica de chocolate bean to bar de Minas Gerais.

Em 2014, iniciamos nossas pesquisas e estudamos muito sobre cacau e as origens. Optamos por trabalhar com o cacau do Pará, que é desconhecido por grande parte da população, mesmo sendo a região em que o cacau se originou. Em 2015, lançamos a Java Chocolates e desde então, estamos sempre buscando melhorias, mas mantendo nossos pilares.

Conheça os pilares de nossa fábrica de chocolate:

Chocolate de origem

Usamos cacau de produtores que amam cacau e buscam constante melhoria na produção. Conheça mais sobre os produtores de cacau. Iniciamos com o cacau do Pará e sempre tivemos curiosidade em encontrar um produtor mineiro, e após quatro anos de pesquisa, encontramos! Conheça mais sobre chocolate de origem em nosso site.

Segurança de alimentos

Alimento precisa ser seguro. Seguimos as melhores práticas para entregar o melhor produto a você, consumidor.

Respeito a alergênicos

Rastreamos os ingredientes para produzir chocolates que atendam às restrições alimentares. Isso é assunto sério para nós!

Mínimo de ingredientes

Para que usar ingredientes sem necessidade? Pois é, assim pensamos e fazemos. Seja com açúcar ou adoçantes naturais, entregamos produtos nutritivos e com variedade, para você consumidor escolher como prefere o seu chocolate

Máximo de qualidade

Nossa luta contínua é de entregar o melhor sabor com o melhor cacau, com gosto de chocolate, sem aromatizantes ou conservantes. Chocolate de verdade com ingredientes naturais.

Cadeia curta de produção com sustentabilidade

Parceiros que amam o cacau. Assim chamamos os nossos fornecedores, com os quais criamos parceria e vínculo. Aprendemos e ajudamos, sempre incentivando a melhoria do cacau, com remuneração superior, para entregar a você a melhor qualidade. Com isso, podemos visitar fazendas e garantir condições de trabalho adequadas e a não utilização de mão de obra em condições de escravidão, ou trabalho infantil.

 

Saiba mais sobre o chocolate vegano

Saiba mais sobre o chocolate vegano

Já imaginou como seria poder se deliciar com um doce sabendo que, além de saudável ele é sustentável? Pois você pode experimentar essa sensação saboreando o famoso chocolate vegano.

Primeiramente, vamos esclarecer o seguinte: o termo vegano vai além de uma alimentação plant based, é um estilo de vida. 

Segundo a The Vegan Society, a entidade vegana mais antiga do mundo, “o veganismo é uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade. Dos veganos junk food aos veganos crudívoros — e todos mais entre eles — há uma versão do veganismo para todos os gostos. No entanto, uma coisa que todos nós temos em comum é uma dieta baseada em vegetais, livre de todos os alimentos de origem animal, como: carne, laticínios, ovos e mel, bem como produtos como couro e qualquer produtos testado em animais”.

Aqui neste artigo, vamos falar especificamente dos chocolates veganos. Continue com a gente para saber mais sobre suas vantagens e benefícios!

Do que o chocolate vegano é feito?

Antes de te contar a base de ingredientes do chocolate vegano, segue para vocês uma listinha dos componentes que não fazem parte dele:

  • Leite;
  • Mel;
  • Albumina;
  • Glicerina.

Todos esses itens são de origem animal, portanto estão fora da receita.

O chocolate vegano também é feito a partir do cacau — ou da massa do cacau — e normalmente, a partir de 40%, a porcentagem desse ingrediente é indicada na embalagem.

Para completar a receita, alguns outros ingredientes podem ser utilizados, como:

  • Manteiga de cacau;
  • Manteiga de amêndoas;
  • Lecitina de girassol;

Na hora de adoçar existem várias opções: açúcar demerara, xilitol e eritritol são algumas delas. Logo, para quem não gosta muito do sabor docinho, é só procurar as opções com mais cacau. Já que quanto mais cacau, mais amargo o sabor, além disso, existem até os chocolates 100% cacau!

Mas não pense que, só por serem veganos, os chocolates serão “sem graça”. Veja estas receitas feita com chocolate quente vegano ou este fondue de chocolate vegano, por exemplo! Na Java Chocolates todos os produtos são veganos e há uma variedade incrível de sabores, como: chocolate branco vegano, chocolate crocante, chocolate com caramelo, entre muitas outras opções.

Possivelmente você deve estar pensando: “hmmm, muito legal isso, de não usar ingredientes de origem animal, mas você disse lá no começo que ele eram saudáveis e sustentáveis. Não entendi muito bem como isso se aplica.”

Siga lendo o artigo para descobrir!

Quais os benefícios do chocolate vegano?

Uma das primeiras coisas que podemos notar na hora de comprar o chocolate comum com o chocolate vegano, é a diferença na lista de ingredientes, veja o exemplo abaixo:

  • Chocolate ao leite: Açúcar, leite em pó integral, massa de cacau, manteiga de cacau, soro de leite em pó, gordura vegetal, gordura de manteiga desidratada, emulsificante lecitina de soja e poliglicerol polirricinoleato e aromatizante.
  • Chocolate 70% cacau da Java: Massa de cacau, açúcar e manteiga de cacau.

Como podemos ver há uma enorme diferença na quantidade de ingredientes dos dois chocolates. Inclusive, pode perguntar para qualquer nutricionista: quanto menos ingredientes um produto tem, mais natural ele é.

Outro ponto para ser observado é o primeiro ingrediente da lista (os ingredientes aparecem em sua ordem de quantidade no produto); no chocolate ao leite tem mais açúcar que cacau, inclusive, a massa de cacau é apenas o terceiro ingrediente da lista.

Além de ser mais natural, ter menos gordura e ser mais nutritivo, o chocolate vegano, por ter mais cacau em sua composição (a partir de 70%) também trás consigo os benefícios do chocolate, como:

  • combate ao colesterol;
  • ajuda na prevenção da anemia;
  • auxilia na regulagem do intestino;
  • reduz o risco de desenvolver diabetes;
  • diminui a pressão.

Ademais, há os benefícios relacionados à sustentabilidade, que vamos elencar a seguir.

Por que o chocolate vegano é mais sustentável?

Há duas grandes razões para considerarmos o chocolate vegano mais sustentável que seus irmãos com produtos de origem animal.

Em primeiro lugar, há um menor uso de recursos naturais. Segunda a Water Footprint Network, para produzir um copo de 250 ml de leite, são gastos aproximadamente 255 litros de água. Já em um chocolate vegano, este gasto com a água já foi economizado.

Em segundo lugar, o movimento vegano vai muito além da alimentação, conforme explicamos lá no comecinho do texto. Então, para o chocolate ser considerado realmente vegano, é necessário haver todo um cuidado em sua cadeia de produção.

Isso visa garantir que a produção de cacau seja livre de exploração infantil e animal, além de não suportar trabalho escravo (infelizmente ainda existem pessoas que trabalham praticamente em condição de escravidão).

Uma boa forma de garantir que o seu chocolate vegano possui essa preocupação com a cadeia de produção é consumir de marcas com produção artesanal.

Como os pequenos produtores compram em menor quantidade, têm a possibilidade de manter um contato mais próximo com as fazendas de cacau, podendo observar de perto todo o seu trabalho. 

Outra vantagem de se comprar em menor quantidade é que fica mais fácil comprar um cacau de maior qualidade, o que deixa o produto final ainda mais saboroso.

Quando você for comprar seu chocolatinho vegano, se lembre dessas informações… Com certeza, ele vai ficar mais gostoso ainda!

Se inscreva na nossa newsletter para não perder nenhuma novidade!

 

Referências:

https://www.sejavegano.com.br/

https://www.tuasaude.com/cacau/

https://www.javachocolates.com.br/blog/o-longo-caminho-em-direcao-a-sustentabilidade/

Chocolate branco vegano – como é feito?

Chocolate branco vegano – como é feito?

É comum que as pessoas sintam falta de um chocolate branco vegano ao iniciar na dieta vegana. Mas as empresas tem se atentado e gerado opções para isso não ser mais um problema.

 

Como é feito o chocolate branco tradicional

O chocolate branco padrão é basicamente composto por manteiga de cacau ou alguma gordura vegetal mais barata, além de leite e  muito açúcar ou adoçante. Em geral, são bastante doces e tem um odor muito característico: baunilha. É responsável por ativar a memória do que associamos ao chocolate – mesmo que ele não tenha naturalmente este aroma.

O cacau é constituído por  mais de 50% de manteiga de cacau, que é extraída a partir de um processo de prensagem. É considerada a parte mais cara do cacau comum, por isso, é muito substituído por outras opções de gordura vegetais em chocolates mais simples. A manteiga de cacau é uma gordura boa, porém, ainda sim precisa ser consumida em quantidades limitadas. Já a gordura vegetal, que é uma gordura trans. Sabe-se que ela pode causar o aumento do colesterol total e do colesterol ruim (LDL) e a redução dos níveis de colesterol bom (HDL).

 

Como é feito o chocolate branco vegano sem leite

A Java Chocolates é uma empresa vegana que criou uma opção que não utiliza leite. Mais do que isso, é livre de glúten, soja e açúcar. Nota-se a diferença logo ao se abrir o chocolate, pois o aroma de baunilha, mencionado anteriormente como indutor de memória do chocolate, não está presente. Pela filosofia de se usar o mínimo de ingredientes, é considerado desnecessário e por isso não é utilizado.

No lugar de leite, grãos de arroz tostados e triturados para ter textura suave. Dulçor reduzido, pois também é filosofia nossa adaptar o paladar para o consumo de produtos menos doces, com mais sabor do que interessa : o cacau. Como falamos, nesse caso a manteiga de cacau é protagonista.

Além de ser um chocolate zero lactose, é zero leite também, sem traços. Desta forma, também se encaixa na dieta plant based.

É possível encontrar opção em barra de 25 ou 80 gramas, barras culinárias de 1 e 5 kg, e também corações recheados.

Chocolate branco vegano de 75 g

Gosta de outras opções veganas, mas docinhas?

  • Chocolate ao leite de coco: Possui cremosidade e um pouco mais de dulçor para quem ainda não se acostumou a um chocolate 70% cacau.

  • Chocolate recheado cremino: É uma opção com recheio de cappuccino, docinha e sem nada de leite em sua composição. Faz parte da linha Candy.

Ficou curioso? Acesse loja.javachocolates.com.br .

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Gordura_trans

Tipos de chocolate – o que pode e o que não pode na dieta

Tipos de chocolate – o que pode e o que não pode na dieta

Diversos tipos de chocolate são encontrados facilmente nos supermercados. E aí, quais deles cabem na dieta? Uma coisa é certa – sempre consuma com moderação.

Primeiro, há alguns atributos importantes independentes do tipo

  • Sem lactose: São os chocolates que não possuem leite ou que utilizam enzima, tornando-os aptos para consumo a quem tem essa restrição. Por isso, não significa que seja zero leite – caso houver compartilhamento de máquina, ele pode ter traços e ser inapto a quem tem alergia ao leite.
  • Sem glúten: São chocolates produzidos em ambientes que garantam a ausência de glúten. É comum que fábricas de chocolates tenham algum ingrediente com glúten, como cookies.
  • Zero açúcar: Aqueles que utilizam algum adoçante ou que forem 100% cacau. Para um chocolate ter algum dulçor, é necessário ter açúcar ou adoçante sempre, pois as amêndoas de cacau tem um

Para quem trabalha na área

Além do cacau , outro ingrediente diz muito sobre a qualidade: a gordura utilizada.

  • Chocolates nobres: Apenas manteiga de cacau.
  • Chocolates fracionados: Usam gordura vegetal, como a gordura hidrogenada.

Vamos aos tipos de chocolate?

Chocolate branco

O chocolate branco utiliza apenas a parte gordurosa do cacau, ou até pior, em geral usa gordura hidrogenada. A quantidade de açúcar tende a ser alta, sendo geralmente muito doces. Mesmo os zero açúcar, se forem muito doces, usam muito adoçante. Desta forma, não está na lista dos mais saudáveis.

 

Chocolate ao leite

O chocolate ao leite também tende a ser mais doce e com alto percentual de açúcar. Novamente, no Brasil é muito comum que estes produtos tenham gordura hidrogenada, pois é mais barata do que a manteiga de cacau e além disso, torna o chocolate mais resistente ao derretimento. O teor de cacau em geral é inferior a 40%. Desta forma, não está na lista dos mais saudáveis.

 

Chocolate amargo ou chocolate dark

São os chocolates com maior teor de cacau, acima de 70% cacau, muitas vezes o dobro do chocolate ao leite. Também tem menos açúcar ou adoçante, muitas vezes a metade. Mesmo assim, podem ter formulação duvidosa.

Além disso, a forma de adoçar pode mudar. Pode ser com açúcar, pode ser zero açúcar, e neste caso, pode usar adoçantes low carb como xilitol ou eritritol, ou adoçantes muito ruins.

Pelo ponto de vista do paladar: prefira chocolates que não tenham cacau em pó na formulação. O cacau em pó é um subproduto do processamento do cacau, em geral é proveniente de uma matéria prima ruim. Além disso: fuja da baunilha! Este ingrediente é utilizado para mascarar a má qualidade, pois o chocolate perde o gosto de cacau e fica tomado pelo odor da baunilha. Já experimentou um chocolate 70% cacau docinho? Em geral, tem cacau em pó e baunilha, com pouco gosto do cacau, que é a parte saudável do chocolate.

Desta forma, observando-se os ingredientes, pode ser saudável.

Chocolate dark

Chocolate Ruby

É mais um caso interessante: quando não é informado o percentual de cacau, não podemos ter expectativas que o chocolate seja saudável. A lista de ingredientes mostra o açúcar sendo o ingrediente de maior volume, de um total de 8, que incluem acidulante ácido cítrico – para que? Desta forma, não está na lista dos mais saudáveis.

 

 

 

O que significa o termo bean to bar?

O que significa o termo bean to bar?

Já ouviu falar nos chocolates bean to bar? Sabe o que significa? É disso que vamos falar por aqui hoje.

Quando abrimos a embalagem de uma barrinha de chocolate, dificilmente paramos para pensar em tudo o que existe por trás dela. Da onde vem essa delícia? Do que ela é feita? Como funciona a sua cadeia de produção? 

“Poxa, eu só queria comer um chocolatinho…” — sim, nós sabemos. Mas, imagina que legal apreciar seu docinho sabendo que:

  1. Ele é produzido de maneira artesanal;
  2. Utiliza poucos ingredientes e esses, além de serem naturais, são bem selecionados;
  3. O chocolate maker acompanha todo o seu processo de produção, desde o contato com o agricultor, que planta o cacau, até o chocolate estar prontinho para ser consumido.

“Ok”— você pode pensar — “parece incrível. Mas sendo práticos, como eu vou saber tudo isso quando estiver escolhendo o meu chocolate, de forma rápida?

Isso é muito simples! É só procurar os chocolates bean to bar. Aqui neste artigo, vamos te explicar tudo sobre essa forma de produzir e consumir chocolates. Continue lendo!

O que é bean to bar?

Traduzindo de forma literal, bean to bar significa “do grão à barra”. Ou seja, que esses chocolates são feitos desde o grão de cacau até a barra. 

É provável que essa explicação desperte dúvidas como: “mas não é assim que todos os chocolates são produzidos?” — e a resposta é, não.

A maior parte dos chocolates são produzidos a partir de uma massa de cacau (os grãos já vem moídos e torrados) ou a partir de outro chocolate já pronto, que é derretido e transformado em um novo produto.

Por que essa é a forma de produção mais comum? Por se mais fácil e barata. Como os produtores recebem a massa de cacau ou o chocolate, não há seleção de grãos, nem uma grande preocupação com suas particularidades, como a safra, por exemplo.

Portanto, o valor da saca do cacau é menor, o que diminui o custo total da produção, consequentemente diminuindo o valor final do produto. Ou seja, é um processo de fabricação muito utilizado por empresas que produzem em larga escala.

“Tudo bem. Por que então surgiu essa categoria bean to bar? Se a forma de fabricação tradicional é mais fácil e barata?”

Fique com a gente até o final para descobrir!

Como surgiu?

Respondendo a pergunta feita acima, o nicho bean to bar surgiu por uma necessidade de mercado. 

Já faz algum tempo que o mundo em geral começou a ser mais consciente, em vários aspectos: alimentação, meio-ambiente, desperdício, etc. e esse tipo de preocupação começou a alterar a forma que as pessoas consomem seus produtos

Tendo isso em mente, em 2005, nos Estados Unidos foi iniciada a fabricação e produção de chocolates com poucos e selecionados ingredientes, fatos que os torna mais saudáveis e naturais. 

Além disso, esses produtores começaram a acompanhar todo o processo de fabricação do chocolate, desde a escolha do agricultor e da seleção dos melhores grãos até a modelagem da barra e seu embalagem. 

A partir desse processo, quem consome os bean to bar sabe que, além de estar desfrutando de um produto de qualidade, também está colaborando com uma cadeia de produção consciente, onde os preços pagos aos produtores primários são justos e há menos danos aos meio-ambiente.

Mas eles são gostosos?

Às vezes os produtos naturais sofrem com a estigma de não serem muito saborosos, o que leva algumas pessoas a decidirem por consumir a versão, digamos “menos natural” da mercadoria.

Porém , isso sem dúvida não é a realidade de muitos produtos, inclusive dos chocolates bean to bar. Por exemplo, podemos fazer um  comparativo do café com esse tipo de chocolate:

Assim como acontece com o café, o sabor e o aroma do cacau são influenciados pelo clima da região, as características do solo e a variedade dos grãos..

Aliás, olha que boa ideia: fazer uma degustação de bean to bar!

Como é o processo de fabricação?

Conforme foi supracitado  uma das vantagens — tanto em relação ao sabor quanto em relação ao consumo consciente — desse tipo de doce é o seu processo de fabricação diferenciado. Confira agora como a mágica acontece:

Análise

 É a partir do processo de análise que os chocolate makers irão identificar a qualidade e as especificidades da amêndoa do cacau e assim desenvolver receitas coerentes com essas nuances.

Torra

A torra é um processo muito importante, que vai imprimir ao chocolate bean to bar seu aroma e sabor. As principais variáveis nesta etapa são o tempo e a temperatura em que as amêndoas serão torradas.

E caso sejam cometidos erros, o chocolate fica comprometido, independentemente da qualidade do cacau utilizado.

Separação de cascas

Após saírem da torra, as amêndoas são deixadas para “descansar” em temperatura ambiente, até que esfriem o suficiente para o processo de separação de cascas ser iniciados.

Essa operação é necessário, pois a parte do cacau que é utilizada para a fabricação de chocolates — conhecida como nibs de cacau — é revestida por uma membrana eu sabor amargo, então nesse processo, os nibs são separados e as membranas descartadas.

Refino e conchagem

Agora que temos os nibs de cacau devidamente separados é iniciado o processo de refino dos mesmos.

É aqui no refino que os outros ingredientes da receita serão incluídos. Tudo é milimetricamente controlado para que não haja perda de sabor durante o refinamento.

Na mesma máquina ocorre a conchagem, que é o que garante a suavidade e a maciez do produto final.

Modelagem e resfriamento

É aqui que o chocolate assume a forma na qual vamos encontrá-lo. Após o processo de modelagem, o bean to bar passa pelo resfriamento, que pode ser feito em túneis ou geladeiras

Embalagem

Pode ser feita por meio de máquinas ou a mão, depende da preferência do fabricante.

Seja por conta da pequena quantidade de ingredientes, por reduzir os impactos negativos no meio-ambiente, para afinar seu paladar em relação aos chocolates ou quem sabe, por todos os motivos citados, o bean to bar veio para ficar.

Certamente, se você der uma chance, ele vai conquistar um lugar na sua despensa —  e no seu coração.

Se inscreva em nossa newsletter para acompanhar as novidades do mundo dos chocolates!

Referências:

https://falauniversidades.com.br/bean-to-bar-a-nova-forma-de-fabricar-chocolate/#:~:text=A%20tend%C3%AAncia%20Bean%20to%20Bar,cacau%20at%C3%A9%20o%20produto%20final.

 

Bean to bar - quais chocolates entram nesta categoria?

Tabua de selecao de cacau

Traduzindo de forma literal, bean to bar significa “do grão à barra”. Ou seja, que esses chocolates são feitos desde o grão de cacau até a barra. em 2005, nos Estados Unidos foi iniciada a fabricação e produção de chocolates com poucos e selecionados ingredientes, fatos que os torna mais saudáveis e naturais. Além disso, esses produtores começaram a acompanhar todo o processo de fabricação do chocolate, desde a escolha do agricultor e da seleção dos melhores grãos até a modelagem da barra e sua embalagem. A partir desse processo, quem consome os bean to bar sabe que, além de estar desfrutando de um produto de qualidade, também está colaborando com uma cadeia de produção consciente, onde os preços pagos aos produtores primários são justos e há menos danos aos meio-ambiente.

Chocolate 100% cacau – como é feito?

Chocolate 100% cacau – como é feito?

Chocolate 100% cacau é um alimento natural e dos mais nutritivos. Feito exclusivamente a partir da amêndoa do cacau, ele entrega um sabor completamente diferente do chocolate com o qual as pessoas estão acostumadas.

O que significa chocolate 100% cacau?

O percentual é referente a quantidade de cacau presente no chocolate. Dessa forma, o chocolate 100% é composto exclusivamente por cacau. Entretanto, é possível que seja referente a mais de uma parte do cacau: massa de cacau, nibs de cacau ou manteiga de cacau. Para que seja um bom chocolate 100%, escolha sempre uma marca bean to bar, pois a qualidade do cacau é tudo, literalmente!

Por que é um chocolate amargo?

A parte do cacau utilizada para fabricação de chocolate é a sua amêndoa. Ela é uma parte que praticamente não contém dulçor. Por isso, o chocolate 100% feito a partir de amêndoas de cacau será sempre amargo, ou intenso, como você pode ler neste outro post.

Chocolate 100% cacau e nibs de cacau são a mesma coisa?

Podem ter o mesmo ingrediente, mas não necessariamente. Nibs é sempre a amêndoa de cacau torrada e sem casca; já o chocolate 100% pode conter nibs, cacau em pó e a manteiga de cacau.

O processo é que faz a transformação do nibs em chocolate. Já viu  como o cacau vira chocolate?

O cacau é amargo?

Aqui temos uma questão interessante: a polpa do cacau é doce, bastante doce e tem açúcar.

A partir desta polpa, são fabricados vários produtos como o “mel de cacau” e o suco de cacau.

Já a amêndoa do cacau, esta sim é bastante amarga e é o principal ingrediente do chocolate. Nós utilizamos apenas cacau especial, pois passa por manejo cuidadoso com fermentação controlada, perdendo o amargor e se torna intenso.

O que significa esse chocolate Wholefruit da Barry Callebaut?

Este chocolate é feito através da combinação das duas partes do cacau que mencionamos anteriormente:

  • Parte de amêndoas de cacau, com sabor amargo. Esta é a parte que traz os benefícios do chocolate.
  • Parte da polpa do cacau, doce e com açúcar.

O lançamento do produto é planejado para setembro deste ano (2020). De forma similar, temos um chocolate brasileiro já no mercado produzido pela Casa Lasevicius.

É uma alternativa interessante para o melhor aproveitamento da polpa do cacau, pois geralmente são descartadas pela grande indústria. Esperamos que se torne um produto viável.