Xilitol, eritritol e o chocolate low carb da Java Chocolates

Xilitol, eritritol e o chocolate low carb da Java Chocolates

Por mais impossível que isso possa parecer, existem chocolates low carb! Tem dúvidas sobre cetose e alimentos low carb? Neste artigo vamos te explicar como isso é possível. 

“Será que eu como esse chocolate? Não quero furar a minha dieta low carb… Mas eu quero TANTO um docinho”.

Quem nunca passou por esse dilema? Você começou a dieta low carb ou dieta cetogência, mas aqueles resultados tão aguardados estão começando a aparecer. Contudo, vez ou outra surge a vontade de saborear esse doce tão adorado por todos. E se dissermos que você pode sim, comer um chocolate sem sair da dieta? 

Chocolate low carb

Os chocolates “normais”não fazem parte dos alimentos permitidos na dieta low carb (baixa em carboidratos) por terem muito açúcar, gorduras e um índice glicêmico bem alto. Para quem não se recorda, os carboidratos se transformam em açúcar dentro do nosso organismo, portanto qualquer alimento que possua muito carboidrato fica de fora das dietas low carb.

“Mas você não disse que eu ia poder comer chocolate sem furar a dieta?!”

Sim! Podemos considerar como chocolates low carb todos que tem em sua composição pelo menos 70% de cacau. Segundo o Dr. Barakat, o cacau é uma substância rica em antioxidantes que além de auxiliarem as atividades cerebrais, podem ser muito úteis para controlar o humor. O cacau é responsável pelos benefícios do chocolate. Gostaríamos de poder dizer que só há vantagens no alimento low carb, porém, o cacau tem o sabor amargo, portanto quanto maior a sua concentração no alimento, menos doce é o seu sabor.

“Sério que você está indicando chocolate meio-amargo ou amargo?’

Não desanime! Continue com a gente que vamos te contar como um chocolate pode ser low carb e agradável ao paladar.

Xilitol

O xilitol é uma ótima opção na hora de substituir o açúcar comum. Ele é um açúcar de álcool, natural e é encontrado nas fibras de diversos vegetais, frutas, algas marinhas e alguns tipos de cogumelo.

Esse adoçante natural possui uma capacidade de adoçar muito semelhante a do açúcar, porém com o índice glicêmico mais baixo e bem menos calórico, fatos que o tornam um ótimo aliado de dietas, inclusive na dieta low carb e dieta cetogênica.

Eritritol

Assim como o xilitol, o eritritol é uma ótima opção para adoçar sem sair da dieta. Também é proveniente de alguns vegetais e frutas.

O eritritol é ainda menos calórico que o xilitol. Segundo o Brasil Nutrição, enquanto o açúcar comum tem 4 calorias por grama, o xilitol tem 2,4 cal e o eritritol possui um total de 0,24 cal por grama. Além de tudo isso, este ainda garante 70% da doçura. A vantagem do eritritol em relação ao xilitol é que o eritritol não causa desconforto intestinal em pessoas mais sensíveis. O eritritol é o único adoçante poliol que não tem efeito laxativo.

“Ok” — você deve estar pensando — “mas o que tudo isso tem a ver com o chocolate low carb que vocês me prometeram?”

Chocolates low carb da Java Chocolates

​Essas, basicamente, são as fórmulas dos chocolates low carb da Java Chocolates

Nossa tabela nutricional limpa (com poucos ingredientes) produz chocolates gostosos e saudáveis, com opções para todos os tipos de paladares. Os com sabor mais doce são adoçados com xilitol ou eritritol e para os que preferem um sabor amargo, temos o chocolate 100% cacau. Isso mesmo, apenas 1 ingrediente!

Viu como é possível comer um chocolate gostoso sem furar a dieta?

Agora você tem diversas opções de chocolates para acompanhar um cafezinho, para comer de sobremesa, para presentear alguém, fazer um doce, entre tantas outras coisas que não pareciam ser possíveis dentro de uma dieta low carb. Mas lembre-se que, como tudo na vida, é bom consumi-lo com moderação. 

Gostou das dicas? Então assine nossa newsletter para receber as novidades.

Referências:

https://drbarakat.com.br/chocolate/

https://tuasaude.com/adocantes-naturais-para-substituir-o-acucar/

https://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/18196-carboidratos

https://www.tuasaude.com/adocantes-naturais-para-substituir-o-acucar/

https://www.sophiederam.com/br/o-que-comer/o-que-e-xilitol-e-pra-que-serve/

Quais são os melhores chocolates do mundo e por que?

Quais são os melhores chocolates do mundo e por que?

Chocolate é bom e todo mundo gosta. Mas o que faz um chocolate ser melhor do que o outro? Vamos entender quais são os critérios para escolher os melhores chocolates do mundo neste post.

Melhor chocolate do Mundo

Começamos pelo cacau

O cacau usado na produção faz toda a diferença. Até o cacau chegar à fábrica, vários fatores são importantes: genética e origem, manejo na fazenda, armazenamento e transporte.

Analisamos a ética do negócio

Um cacau que é cultivado sem trabalho escravo e que remunera adequadamente o cacauicultor é o ideal. Além disso, vamos lembrar de ter uma cadeia de suprimento curta: se o cacau é comprado diretamente do produtor, é muito melhor para ele e para quem consome, pois vai conseguir consumir um produto que recebeu mais cuidado.

Qualidade do processamento da indústria

Já na fábrica, iniciam-se as etapas de torra e moagem. A torra é importantíssima para desenvolver o sabor do cacau, e a moagem vai gerar um chocolate com granulometria ideal abaixo de 20 micra (cada Micron equivale a dividir 1 milímetro por 1000).

Ingredientes e aromatizantes

Quanto menos melhor, certo? Por que usar ingredientes desnecessários na produção? Para que maquiar o chocolate com cheiro de baunilha? Quem usa um bom cacau precisa de muito pouco para ser feliz. Veja essa opção feita só com cacau e açúcar.

Embalagem

É importante que a embalagem impeça o contato com o meio externo, bloqueando que o chocolate adquira odores ou microorganismos do ambiente.

Esses são os fatores para você analisar ao consumir o chocolate e definir quais são os melhores chocolates do mundo para você. Não existe o melhor, existe o que você gosta mais, e pode ter certeza que ao longo da vida, há grande chance de o seu chocolate favorito mudar também.

Por que os chocolates belgas seriam os melhores chocolates do mundo?

Ah, achou que íríamos falar que o melhor chocolate do mundo é o belga? Pense nisso: existe algum pé de cacau plantado lá? Pois é, o que fez alguns países da Europa terem os melhores chocolates no passado foi a tecnologia, mas ela já está espalhada por todo o mundo hoje. Dessa forma, um chocolate feito na Bélgica pode ser feito com as mesmas características no Brasil ou na China.

Para que serve o açúcar?

Para que serve o açúcar?

Nest post, vamos explicar com detalhes sobre o açúcar e para que serve.

Quando se pensa em adoçar a primeira coisa que vem a nossa cabeça é açúcar. O açúcar, também denominado de sacarose, está presente em muitos alimentos. Apesar de ser encontrado nos tecidos de algumas plantas, eles são extraídos da cana-de-açúcar e da beterraba para quantidades comerciais.

Desde 1700 é bem comum o açúcar extraído da cana e o açúcar da beterraba veio logo depois, em 1798, tornando-se bem importante para a indústria, principalmente, na França e na Alemanha, pois Napoleão, objetivando boicotar o açúcar das colônias britânicas, encorajou o seu desenvolvimento. O açúcar branco começou a ser processado em meados de 1850.

O açúcar é fonte de energia. Ele é rapidamente digerido e absorvido, liberando glicose e frutose. A glicose é importante para o cérebro, um dos órgãos que mais a consome. Esta frase vai de encontro à filosofia low-carb, vai parecer incoerente. 

Apesar de ser considerada uma substância inócua, é sempre relacionada o com diferentes patologias como as doenças cardiovasculares, diabetes ou obesidade. Porém, não existe estudo que comprove isso. Consumir açúcar dentro de uma dieta equilibrada e sem excessos não apresenta riscos à saúde.

No artigo de hoje vamos falar um pouco mais sobre o açúcar, será que a sua função é apenas adoçar os alimentos? Quais os tipos? Confira.

O que é o açúcar e para que serve?

Os açúcares são um grupo de substâncias com sabor adocicado amplamente presentes em alimentos em geral. Fazem parte do grupo dos carboidratos.

Eles são constituídos de duas moléculas, uma de frutose e uma de glicose. Ou seja, são um dissacarídeo, o que implica que são um composto formado pela união de dois monossacarídeos.

O açúcar ou a sacarose industrial e comercial é o produto de extração da cana e da beterraba de açúcar. O que difere entre eles, além das técnicas dos processos de produção, é a natureza de suas impurezas. O açúcar de cana impuro é aromático e doce, enquanto o de beterraba tem um pequeno fundo amargo. Entretanto, o produto final é o mesmo: 99,9% pura sacarose.

Os alimentos podem conter sacarose de origem natural ou adicionada. Os produtos industrializados têm concentração de sacarose adicionada conforme as possibilidades técnicas, razões econômicas e culturais e da regulamentação governamental existente em cada país. Enquanto a concentração natural nos alimentos não é possível conhecer, pois o conteúdo de açúcar de frutas e legumes depende das variações naturais de cultivo, período de colheita e condições de armazenamento.

Tipos de açúcar

Açúcar de confeiteiro

O açúcar de confeiteiro tem cristais muito finos e refinamento sofisticado. É indicado para fazer glacês e coberturas.

Açúcar orgânico 

O açúcar orgânico não utiliza agrotóxicos  em nenhuma etapa do ciclo de produção, do plantio à industrialização.

Açúcar light 

O açúcar light surge da combinação (mistura) do açúcar refinado com adoçantes dietéticos.

Açúcar líquido

Esse tipo de açúcar é obtido pela dissolução do açúcar refinado em água, usado em bebidas gasosas, balas e doces. Não é vendido em supermercados.

Açúcar refinado

É conhecido como açúcar branco, em seu refinamento, aditivos químicos, como o enxofre, tornam o produto branco como conhecemos. 

Açúcar mascavo

 É o açúcar quase bruto, escuro e úmido, extraído depois do cozimento do caldo de cana, que não passa pelas etapas seguintes de refinamento, por isso, conserva o cálcio, o ferro e outros sais minerais.

Açúcar cristal

É o açúcar com cristais grandes e transparentes, relativamente difíceis de serem dissolvidos em água. Não passa por refinamento.

Demerara

O demerara é também usado no preparo de doces. Este açúcar não recebe nenhum aditivo químico.

Açúcar invertido 

A sacarose pode ser hidrolisada após diluição em água, separando a glicose e a frutose. Quando esta reação ocorre com a adição de um ácido, surge uma espécie de xarope chamado de açúcar invertido. É usado para manter a cremosidade e evitar cristalização em doces como caramelos, recheios e brigadeiro. 

Açucares e adoçantes naturais

 Os açúcares têm funções essenciais na culinária e confeitaria além de adoçar. Eles dão cor, textura, crocância, ajudam a conservar alimentos e umidificá-los. Além disso, eles contribuem muito para o sabor. Mas, não devem ser consumidos exageradamente. O excesso de açúcar pode levar à alguns problemas de saúde, como a obesidade e a todas as doenças que decorrem disso, a diabetes, por exemplo. 

É importante ressaltar que o açúcar não é somente aquele adicionado. Na natureza é possível encontrar alimentos que possuem pouco açúcar e que são suficientes para manter a sua saúde em dia, como nas frutas e sempre junto com fibras. O que devem ser evitados são os alimentos altamente processados, que em quase todos há açúcar embutido.

Os edulcorantes são uma substância orgânica, que tem a função de oferecer sabor doce aos alimentos. Apresentam vantagens como menor risco de obesidade, diabetes e cáries. São considerados edulcorantes naturais o manitol, isomaltitol, maltitol, esteviosídeos, lactitol, xilitol e eritritol.

Há os edulcorantes nutritivos que são chamados de adoçantes calóricos, quando adicionados aos alimentos modificam sua textura e lhe proveem de energia. Portanto, podem substituir o açúcar.

Inseridos nesta categoria de adoçantes, os polióis são os álcoois de açúcares, que são derivados de carboidratos que provêm de frutas, cereais, vegetais, plantas, etc. Ao compará-los com o açúcar, como são pouco absorvidos pelo organismo, fornecem menos calorias e nível glicêmico mais baixo ao serem ingeridos. Além de serem absorvidos de forma mais lenta.

Essa é a vantagem dos polióis. Eles podem ser substituídos por quantidade similar ao de  açúcar, mas, o produto da quebra oriundo da metabolização não é totalmente absorvido pelo organismo e, portanto, não fornece calorias.

Gostou do artigo? Então, assine nossa newsletter.

 

https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201604/2016040854800001460597640.pdf

https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201603/2016030052660001459189957.pdf

http://www.quimica.net/emiliano/artigos/2005nov_qnc_sugar.pdf

https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201708/2017080055278001501851936.pdf

https://www.sophiederam.com/br/comportamento-alimentar/excesso-de-acucar/

https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/15782/1/GOS19092019.pdf

Chocolates zero lactose e saudáveis da Java Chocolates

Chocolates zero lactose e saudáveis da Java Chocolates

 Os chocolates zero lactose da Java Chocolates expressam tudo o que a empresa realmente é: preocupada com alimentação natural, saudável e inclusiva.

A Java Chocolates busca alinhar esse conceito aos chocolates sem abrir mão do sabor.

Por isso são feitas várias pesquisas, buscas por melhores matérias primas e fornecedores, aperfeiçoamento nos processos produtivos e muito aprendizado técnico, além dos testes de diversas fórmulas para combinar os ingredientes da maneira mais harmônica e saudável, a fim de oferecer um produto autêntico para você e o mercado, e que também seja gostoso.

Dentre os alimentos funcionais, tratamos de escolher o chocolate mais nutritivo e gostoso, as frutas mais suculentas e as amêndoas mais crocantes, sempre nos certificando da naturalidade dos ingredientes e sua origem.

A sua saúde é muito importante para nós e, por isso, levamos muito a sério a questão das alergias e intolerâncias alimentares e garantimos a ausência de glúten.

A nossa fábrica é cuidadosa e minuciosa quanto a higienização dos equipamentos, especialmente, após a manipulação de oleaginosas. Nos preocupamos muito com a idoneidade dos nossos fornecedores, minimizando os riscos da contaminação cruzada por glúten e outros alérgenos, garantindo segurança e cuidado.

Durante todo o processo de desenvolvimento temos auxílio de nutricionistas e engenheiros de alimentos para garantir a segurança dos produtos. 

Somos artesanais na produção e no coração. Estamos sempre atentos aos pequenos detalhes que fazem toda a diferença no produto final. No artigo de hoje, vamos falar um pouquinho mais sobre os chocolates Java. Vale a pena conferir essas delícias. Acompanhe.

A origem do chocolate Java 

Nosso cacau tem duas origens: o cacau de origem amazônica e o cacau mineiro. 

O cacau de origem amazônica tem o seu plantio, colheita e beneficiamento feito por cooperativas de agricultura familiar e pequenos produtores no estado do Pará. O cacau apresenta notas gustativas diferentes do cacau da Bahia, que é o mais conhecido no Brasil, pois contém notas florais e adocicadas. Apresentam notas mais marcantes de castanha e de jasmim, muito baixa acidez e adstringência.

Após quatro anos trabalhando somente com cacau de origem Amazônica, descobrimos, na região do Rio Doce em Minas Gerais, uma fazenda dedicada ao cultivo e manejo do fruto. O cacau mineiro traz uma acidez equilibrada e notas de caramelo ao chocolate, uma experiência diferente do cacau amazônico. Porém, também muito saboroso, autêntico e intenso.

O terroir, o manejo cuidadoso da terra e do fruto durante e após a colheita, evidencia os aromas e sabores do cacau, que serão arredondados na etapa de torra. Tudo começa realmente é com a escolha do cacau. E para produzir chocolate de verdade e com excelência, precisamos de poucos ingredientes, mas é necessário mais tempo e atenção aos detalhes.

As amêndoas de cacau são minuciosamente selecionadas quando chegam à nossa fábrica. Posteriormente, são torradas à baixa temperatura. Cada origem de cacau e cada safra tem uma curva de torra diferente, que ajustamos a cada lote recebido, para desenvolver ao máximo o potencial daquela amêndoa. Também há variação na curva de torra dependendo do chocolate que será feito. 

Os chocolates da Java

Os chocolates Java são feitos com ingredientes naturais de alta qualidade e com rastreabilidade. Seguimos rigorosamente as boas práticas de fabricação, incluindo o controle de alérgenos.

Para nós, tão importante quanto ser gostoso o chocolate, é ser seguro.  

O nosso objetivo é que todos possam deliciar-se com os nossos chocolates zero lactose, desde o crítico gastronômico renomado que valoriza ingredientes locais até a criança alérgica a leite de vaca. E, por isso, fazemos o rastreamento dos ingredientes para garantirmos a segurança do alimento. Nossas fórmulas são balanceadas priorizando o sabor e preservando as características nutricionais do alimento.

Nossos chocolates finos não têm glúten, leite ou soja, apenas manteiga de cacau, nada de gorduras, vegetais hidrogenadas, sem aromatizantes e sem conservantes, somente qualidade e sabor.

Buscamos atender com respeito e dedicação às pessoas que ainda têm muita dificuldade ou restrições para se alimentar no Brasil: as pessoas alérgicas, sensíveis e intolerantes a determinados alimentos. 

Valorizamos os alimentos naturais ou minimamente processados, levamos muito a sério a saúde e queremos que as pessoas com restrições alimentares possam desfrutar de chocolates que sejam saborosos e saudáveis. A nossa produção reflete justamente isso. Portanto, celíacos, intolerantes, alérgicos e diabéticos, podem ficar tranquilos: os chocolates Java também atendem a vocês.

Vamos conhecer os sabores?

Os nossos corações de chocolates atendem a todos os gostos e são perfeitos para presentear. São todos veganos, não utilizam nem matérias primas e nem mão de obra de origem animal. Não têm glúten, leite, zero lactose e soja, como todos os chocolates Java

Oferecemos também os bombons com autêntico sabor Java Chocolates, em três opções: bombom de Chocolate 70% cacau recheado com ganache de chocolate intenso, feito com óleo de coco; bombom de Chocolate 70% cacau recheado com manteiga de amêndoas, sabor doce, zero açúcar e adoçado somente com Eritritol; e bombom lowcarb de Chocolate 70% cacau adoçado com xilitol, recheado ganache de chocolate (feito com óleo de coco), zero açúcar, sabor doce, adoçado somente com Xilitol.

As barrinhas de chocolate são deliciosas e atendem aos mais variados gostos e necessidades.

Na Java Chocolates você ainda encontra a barra culinária com a mesma qualidade e sabor das barrinhas de chocolate.

Com certeza você ficou com água na boca depois de ler esse artigo. Experimente os nossos produtos. Visite nossa loja.

Chocolate na dieta: pode?

Chocolate na dieta: pode?

Que todo mundo é fã de chocolate não é novidade para ninguém.

O chocolate por muito tempo foi considerado o vilão de qualquer dieta, o que causava desespero para aqueles que não conseguem excluí-lo da alimentação.

Mas, se você, assim como essas pessoas, não vive sem um chocolate, tranquilize-se. Essa ideia de que dieta e chocolate não combinam, já passou. Acredite, depende apenas da escolha do chocolate certo e a quantidade ideal a ser consumida diariamente. Seguindo corretamente as orientações, ele pode ser consumido sem peso na consciência, pois ele pode sim ser incluído na sua dieta sem que lhe engorde e você ainda pode desfrutar de todos os outros benefícios do chocolate.

Ficou curioso para saber mais sobre a inclusão do chocolate na dieta? Então, acompanhe o artigo de hoje.

O chocolate na dieta

Os nutricionistas afirmam que o chocolate deixou de ser o grande vilão das dietas e pode ser incluído nos programas alimentares e estilos de vida saudáveis. O que é um alívio para todos nós que não abrimos mão de um chocolate, mas precisamos manter hábitos alimentares saudáveis e ainda manter o peso ideal.

Nutricionistas afirmam que há pesquisas que associam o consumo de chocolate à perda de peso. Isso porque as sementes do cacau são ricas dos principais compostos fenólicos que são os taninos e flavonóides. Dentre os flavonóides presentes, os flavonóis são os mais abundantes e têm ação antioxidante. Os ácidos fenólicos são responsáveis pela ação emagrecedora porque têm influência na produção da leptina, que é o hormônio da saciedade, auxiliando na queima de calorias, além da ação antioxidante que ajudam a prevenir o acúmulo de gordura nas células.

Estudos científicos: benefícios do chocolate verdadeiro 

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia concluiu que pessoas que comem chocolate por mais vezes são mais magras do que as que o consomem raramente. O estudo associou as calorias presentes no chocolate como uma fonte poderosa de energia, que possibilita o corpo trabalhar mais. Portanto, os resultados dessa pesquisa demonstraram que aqueles que comiam mais frequentemente chocolates apresentaram o IMC (Índice de Massa Corpórea) menor do que aqueles que não o consumiam com tanta frequência. Logo, concluiu-se que as substâncias presentes no chocolate aceleram o metabolismo. 

Os polifenóis no chocolate  têm propriedades antioxidantes e são candidatos a apoiar associações favoráveis ​​de chocolate com fatores metabólicos. Ainda é relatado na pesquisa que a epicatequina derivada do cacau aumenta especificamente a biogênese mitocondrial e a capilaridade, o desempenho muscular e a massa muscular magra, reduzindo o peso sem alterar as calorias. 

O chocolate amargo emagrece

Então, consumir o chocolate ajuda a acelerar o metabolismo e consequentemente auxilia na perda de peso. Na verdade esse é um dos grandes benefícios do chocolate: acelerar o metabolismo. E isso contribui para queimar gordura. Isso ocorre principalmente porque o chocolate amargo contém gorduras monoinsaturadas que têm a capacidade de estimular o organismo a utilizar mais energia proveniente dos estoques de gordura.

Por isso, é fundamental que tenhamos uma dieta balanceada, para que o nosso corpo seja obrigado a mobilizar os estoques de gordura para serem convertidos em combustível para as células. E, ainda, possui um grande impacto na maneira como o organismo sintetiza os ácidos graxos (gorduras), pois tem o poder de reduzir a digestão e absorção de gorduras e carboidratos.

Entretanto, todos os estudos alertam que não é qualquer chocolate que pode ser incluído na dieta e muito menos podemos ingerir quantidades exageradas.

É muito importante ressaltar que para que possamos desfrutar da inclusão dos chocolates na nossa dieta e aproveitarmos os benefícios que ele tem a nos oferecer, precisamos optar pelos produtos mais puros possíveis e de boa qualidade. O chocolate amargo é o mais adequado, pois possui maior concentração de cacau e menor quantidade de açúcar. Além disso, é recomendada a ingestão de no máximo 30 gramas por dia. Nada de exageros.

A escolha certa do chocolate 

Portanto, a inclusão de antioxidantes na dieta é de grande importância e o chocolate é rico dessas substâncias. Mas, para aproveitarmos disso, é essencial escolhermos aqueles chocolates com no mínimo 70% de cacau na fórmula. Quanto maior a quantidade de cacau, mais benefícios terá para a nossa saúde.

É importante salientar que além de contribuir para o emagrecimento, o cacau, consequentemente o chocolate, possui vários outros benefícios essenciais para nossa saúde física e mental, portanto, pode ser incluído na dieta.

O chocolate amargo é rico em minerais, uma das melhores fontes de antioxidantes que existe. Por isso, tem efeito cardioprotetor e prevenção de várias doenças associadas ao estresse oxidativo. Além de possuir magnésio, potássio, cobre, manganês, zinco e selênio.

Esses antioxidantes em nosso organismo evitam problemas no sistema cardiovascular, diminuem o risco de um derrame; melhoram a circulação sanguínea porque auxiliam na restauração da flexibilidade das artérias, ao mesmo tempo em que previne o entupimento.

A ação antioxidante do chocolate amargo ajuda a proteger a pele dos danos causados pelos raios ultravioletas, mas não dispensa o uso do protetor solar. E como melhoram o fluxo do sangue, naturalmente, aliviam o fluxo sanguíneo dos tecidos cutâneos e subcutâneos, aumentando a hidratação da pele.

Os agentes antioxidantes que contém em abundância o chocolate amargo também reduzem os índices de colesterol ruim, o LDL, e aumenta o colesterol bom, o HDL.

Os flavonóides presentes no chocolate amargo fazem bem para o cérebro, pois possuem propriedades anti-inflamatórias, que ajudam na recuperação das lesões. Bem como reduzem a perda de memória, especialmente em idosos.

Os chocolates amargos são ricos em substâncias estimulantes; podem contribuir para a diminuição dos níveis de estresse e inflamações; podem melhorar o humor; a ansiedade; combatem a depressão; o desânimo; aumenta sensação de bem-estar e a imunidade. Previne diabetes já que diminui a resistência à insulina, reduzindo o risco da doença. 

O chocolate amargo é um grande aliado da saúde e, portanto, deve ser incluído na dieta. Mas, não basta consumir apenas o chocolate e achar que ele é o suficiente, até mesmo porque deve ser consumido moderadamente.  É preciso ter uma rotina de hábitos saudáveis, fazer atividade física e ter uma alimentação balanceada.

Gostou do nosso artigo? Assine nossa newsletter.

 

http://revistaipc.com.br/nutricao-propriedades-do-chocolate-e-seus-beneficios-pag-20/

https://home.unicruz.edu.br/seminario/anais/anais-2011/saude/EFEITO%20DO%20CHOCOLATE%20AMARGO%20NOS%20N%C3%83%C2%8DVEIS%20LIP%C3%83%C2%8DDICOS%20DE%20RATOS.pdf

http://melaniestefan.net/Bohannon.pdf

https://www.scielo.br/pdf/bjft/v14n3/03.pdf

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4285439/

https://www.revistabula.com/25024-estudos-comprovam-que-chocolate-diminui-o-risco-de-depressao-e-auxilia-no-emagrecimento/