Você tem curiosidade sobre o que é o que é dieta low carb? Frequentemente vemos surgir várias dietas que prometem perda de peso em tempo recorde.

Mas, será que são dietas realmente preocupadas com a sua saúde?

Ainda que a ideia seja perder quilos, não pode ser a qualquer custo. É muito importante considerar uma forma mais saudável possível.

A dieta mais falada nos últimos tempos tem sido a Low Carb.

Dieta Low Carb significa uma dieta com baixa quantidade de carboidrato, com substituições alimentares e cardápios planejados com base em fibras e proteínas. Isso pode parecer radical comparada às dietas tradicionais, mas, com auxílio de um nutricionista na elaboração de um plano alimentar pode ser bastante eficaz, além de saudável.

No artigo de hoje vamos falar um pouco mais sobre a dieta Low Carb. Confira.

O que é dieta low carb?

Robert Atkins era médico cardiologista que na década de 60 desenvolveu o método polêmico para a época, que consistia em uma dieta de redução de ingestão de carboidratos da alimentação, que ficou conhecida por Atkins Nutritional Approach ou Dieta de Atkins.

A Dieta de Atkins foi publicada na década de 70 e ganhou seguidores pelo mundo inteiro. Especialmente, nos dias atuais. Tornando-se uma das dietas Low Carb mais famosa.

Recentemente, uma das dietas Low Carb inspirada na Dieta de Atkins, que ganhou destaque, foi a dieta Dukan lançada pelo médico francês Pierre Dukan, que apesar de algumas adaptações, tem o mesmo objetivo.

De modo geral, a dieta Low Carb é entendida como uma dieta de baixo consumo de carboidrato.

Entretanto, estudos apontam que o termo não é apenas uma dieta, é um conceito bem abrangente e que, portanto, consiste em vários tipos de dietas desde que tenham como proposta a baixa ingestão de carboidratos.

A Associação Brasileira Lowcarb afirma que o tempo é um espectro, justamente porque a dieta pode variar da mais severa restrição a mais moderada.

Por que a dieta consiste em pouca ingestão de carboidrato?

É importante compreender que os carboidratos estimulam o acúmulo de gordura. Quando ingerimos alimentos ricos em carboidratos, esses alimentos são automaticamente convertidos em glicose em nosso organismo. Para tentar reduzir os altos níveis de açúcar, o nosso corpo libera insulina.

Ao invés de queimar a gordura, ele transforma o açúcar em gordura e acelera o estoque de gordura. E mesmo reduzindo a quantidade de açúcar no sangue, ainda teremos insulina circulando. E isso impossibilita a conversão desta gordura em energia e o nosso corpo estando em baixo nível energético, ele pede por mais comida. E comendo mais, engordamos mais ainda.

Daí a importância de uma alimentação que priorize a ingestão de alimentos de baixa quantidade de carboidratos, pois eles evitam uma alteração maior da insulina. Isso aliado a uma alimentação rica em fibras e proteínas torna a liberação do hormônio glucagon, importante no auxílio da queima de gordura estocada em nosso organismo, mais eficaz.

Por isso, a dieta low carb propõe a redução de carboidratos. De acordo com os estudos, se reduzirmos até 40% do que ingerimos ao dia, e controlarmos proteína e principalmente a gordura, é possível emagrecer. E se reduzirmos 10 % e melhorarmos o que consumimos diariamente, teremos bons resultados, mas principalmente estaremos reeducando a nossa  alimentação, o que é fundamental para quem deseja ter uma vida saudável.

Assim, com a dieta Low Carb, segundo especialistas, ao alimentarmos melhor aumentando a ingestão de proteínas e de gordura boa, estaremos contribuindo para a redução da inflamação do organismo e combatendo a retenção de líquidos.

O propósito da dieta é que nos alimentemos de “comida de verdade”, pois até mesmo produtos industrializados são extintos do plano de alimentação. A base da alimentação passa a ser de legumes e vegetais, considerados alimentos mais densos pelos nutricionistas, e posteriormente, as proteínas; quanto às gorduras, somente as de fonte natural.

Como fazer a dieta Low Carb 

Como a dieta Low Carb consiste na redução de consumo de carboidratos, o primeiro passo é eliminar carboidratos simples como açúcar, farinha refinada, refrigerantes e doces. A partir daí, dependendo dos seus objetivos e da orientação profissional, podem ser restringidos o consumo de carboidratos complexos, como pão, aveia, arroz ou macarrão, por exemplo. 

Os estudos avaliam que a quantidade de carboidrato a ser restrita varia conforme o metabolismo de cada pessoa. Entretanto, é fato que diariamente consumimos uma quantidade grande de alimentos com alto teor glicêmico. Por essa razão, a adoção de hábitos alimentares com baixo consumo de carboidratos deve ser progressiva, para que o nosso corpo se acostume com a nova rotina e não sinta efeitos colaterais como dores de cabeça, tonturas ou alterações no humor.

E para evitar tais efeitos colaterais e a sensação de fome é fundamental nos alimentarmos ao longo do nosso dia, fazer corretamente as três refeições principais e mais dois lanches.

É muito importante e essencial ter o acompanhamento profissional. O nutricionista deverá fazer o plano alimentar conforme as necessidades específicas de cada pessoa e conferir se há indicação desse tipo de dieta para cada caso. Portanto, não invente fazê-la sem orientação, isso pode acarretar problemas ao invés benefícios.

Benefícios da dieta Low Carb 

A ABLC afirma que a dieta Low Carb é, sobretudo, uma “intervenção terapêutica extremamente eficaz no controle e reversão de doenças associadas à resistência à insulina”. Segundo a associação existem evidências de que esse tipo de dieta pode intervir principalmente na prevenção do diabetes tipo 2.

O que ocorre é que, quanto mais carboidratos ingerimos, maior é o índice glicêmico no sangue e consequentemente o de insulina. Quanto mais insulina em nosso corpo, mais resistente a ela o nosso organismo fica e de mais insulina vamos precisar. Assim, aumentando o risco de resistência à insulina há chances de evolução para diabetes tipo 2. Então, ao adotarmos a dieta Low Carb estamos intervindo para a prevenção e controle da doença do diabetes.

As fibras são excelentes fontes de carboidrato que, aliadas às proteínas e às gorduras naturais, prolongam o tempo que o alimento fica no organismo e ao chegar no intestino reduz a velocidade de absorção de glicose, evitando, assim, alterações de insulina, proporcionando saciedade.

Se consumido de forma adequada, os carboidratos podem ser aliados na perda de peso. Basta substituir por aqueles com índice glicêmico baixo ou moderado que auxiliam na queima do estoque de gordura no organismo.

Gostou do nosso artigo? Assine nosso newsletter e fique por dentro de uma vida mais saudável.

 

Referências

https://drbarakat.com.br/low-carb-entenda-o-que-e-este-conceito-e-seus-beneficios/

https://www.tuasaude.com/dieta-low-carb/

https://www.ablc.org.br/alimentacao-low-carb-apresentacao/

https://saude.abril.com.br/alimentacao/dieta-low-carb-vale-a-pena/

https://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/17486-dieta-low-carb

https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/nutricao/noticia/dieta-low-carb-como-funciona-e-o-que-comer-confira-dicas-e-um-cardapio-semanal.ghtml

Powered by Rock Convert