Pensou em comprar  o melhor chocolate e não quer errar? Vai de chocolate belga ou o chocolate suíço?

Vamos analisar o chocolate dos dois países e entender a fama? Por que não comparar com o chocolate de verdade nacional?

 

Chocolate belga

A Bélgica ficou famosa no mundo dos chocolates por que foi lá o nascimento dos bombons. Isso mesmo.

O bombom surgiu numa farmácia dentro da Galeria Real no século XIX. O dono teve a idéia de enrolar os medicamentos com chocolate para ajudar a engolir o remédio.

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bruxelles_Galeries_royales_Saint-Hubert_06.jpg

Galeries Royales – Crédito -https://commons.wikimedia.org/wiki/User:Zairon

A qualidade da produção dos bombons, aliada ao uso de chocolates de boa qualidade, fez com que a Bélgica ficasse famosa não só pelos bombons, mas também pelos chocolates.

Curiosamente, o nome “chocolate belga” praticamente é usado hoje como tipo de chocolate, mesmo sem ter um padrão para isso – exceto  o fato de ter sido fabricado na Bélgica.

 

Chocolate suíço

Talvez seja o país com associação maior ao chocolate hoje, com muita história envolvida. E rapidamente, já lembramos de chocolate suíço Lindt. A técnica de conchagem, responsável por deixar o chocolate mais suave, foi criada por seu fundador, Rodolph Lindt.

Outro grande fator para a popularização do chocolate suíço foi  a invenção do chocolate ao leite, por Daniel Peter.

A preocupação com a qualidade veio desde cedo. Em 1901, os produtores suíços de chocolate fundaram a Union libre des fabricants suisses de chocolat. Em 1916, a Union foi dividida em Chambre syndicale des fabricants suisses de chocolat e Convention chocolatière suisse.  A Convention Chocolatière em 1916, com objetivos zelar pela qualidade do chocolate e estabelecer uma estratégia de preço uniforme, até sua dissolução, em 1994.

Chocolate brasileiro

O Brasil é um dos poucos país em que temos ao mesmo tempo:  plantação de cacau, fábricas de chocolate e consumo do produto final. A maioria dos países em que se planta cacau exporta praticamente toda a sua produção, muitas vezes devido à falta de recursos da população para comprar um item considerado caro.

 

Originalmente, o Brasil fabricava apenas chocolates mais simples, com muito açúcar, talvez até para se alinhar ao poder aquisitivo da população. Ainda hoje, o maior consumo no Brasil é desse tipo de produto , mas agora temos a produção de cacau fino e também de chocolates de alta qualidade.

Apenas em 2019 o Brasil foi reconhecido como exportador de cacau fino, mesmo que a parcela de cacau fino ainda seja pequena.  A maioria é de cacau comum,  conhecido como bulk ou commodity.

De ter um cacau fino a produzir um chocolate de qualidade há uma grande diferença. Mas o mercado começou a pedir este tipo de produto. Mesmo não tendo um mercado grande, pequenos produtores começaram a surgir para atendê-lo. Com isso, hoje é possível ver chocolate brasileiro feito com ótimos ingredientes e seguindo os melhores processos para fabricação de chocolate. Que tal experimentar e comprovar que chocolate brasileiro de qualidade existe?

 

Referências:

http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/08/belgica-inventora-do-bombom-ganhou-fama-mundial-pelo-chocolate.html

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/09/13/internas_economia,1084980/brasil-e-reconhecido-pela-icco-como-exportador-de-cacau-fino-e-de-arom.shtml